Home Notícias Cinema Liga da Justiça (crítica do filme)

Liga da Justiça (crítica do filme)

5 min read
0
0

Apesar de gostar de Batman vs Superman, eu estava preocupado com Liga da Justiça.

A principal preocupação era por todas as atribulações em volta do filme, que pareciam que levariam Liga para um caminho diferente do que havia sido tomado antes – não que mudar seja ruim, mas acho equivocado a ideia de que a única salvação para o universo da DC seja tentar emular os filmes da Marvel. Por sorte eu estava enganado.

Os personagens do filme funcionam de formas diversas e não há sobras nem excessos, como em vingadores. Todo mundo aparece o tempo certo, faz o que tem que fazer e é sempre satisfatório. Por incrível que pareça, o que mais parece deslocado no filme é o Batman, digo isso mais na reta final da história, onde a sua falta de poderes o deixam tão insignificante meio aos poderosos do longa.

Quanto as mudanças, elas são óbvias: o filme é enxuto e sem muitos rodeios, apesar de ainda não ser um filme rápido (o que eu particularmente gosto), as cores se destacam mais e o humor é mais recorrente. O filme é leve, tendo uma progressão linear e eficiente, sem chance de alguém ficar confuso assistindo.

O filme pode ser considerado curto, tem apenas duas horas de duração, mas retiraria algumas cenas se pudesse, como uma da mulher maravilha salvando um banco – a cena não tem utilização nenhuma dentro da trama. Aliás, Gal Gadot executa bem seu papel, mas sofre com linhas de diálogo expositivas ou de puro efeito – mas isso é erro do roteiro, não dela.

O vilão do filme, o Lobo da Estepe, foi muito criticado como o ponto mais fraco da história. Bem, ele não é um poço de profundida, mas é bom personagem e é um bom antagonista, pelo menos até o clímax do filme. Na verdade o clímax é o problema do filme. Como disse, o Batman fica deslocado com o decorrer do longa, principalmente no terceiro ato – faltou algo intelectual para ser resolvido e ficar por conta dele, como é de costume nas animações. Mas antes o problema fosse apenas esse. O grande erro de Liga da Justiça é ter um vilão que fisicamente falando é inferior ao Superman, ou seja, não existe uma superação ou uma verdadeira catarse no embate final.

Liga da Justiça é muito mais palatável para o público geral/fãs da Marvel, mas ainda assim é frustrante. Sem dúvida, um final ruim pode amenizar os grandes feitos de um filme que estava no caminho certo.

Autor: Anderson Soares

Liga da Justiça (crítica do filme)
5 (100%) 1 vote
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais Cinema

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *